fbpx

Caminhoneiros dizem que CUT usa categoria como massa de manobra

Lideranças criticam aproximação de movimento grevista com entidade sindical ligada à extrema-esquerda.

O apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT) à paralisação anunciada para a próxima segunda-feira (16) por um grupo de caminhoneiros divide a categoria.

Em redes sociais e grupos de WhatsApp, a aproximação dos caminhoneiros com a entidade alinhada à extrema-esquerda gera críticas e resistência, segundo representantes dos motoristas ouvidos pelo site Metrópoles.

“Não tem adesão. Tem movimento político por trás querendo usar a categoria como massa de manobra”, criticou Wallace Landim, caminhoneiro conhecido como “Chorão”.

Apesar da forte resistência de alguns grupos, a paralisação dos caminhoneiros não está totalmente desamparada.

Em vídeo, o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logísticas (CNTTL), Paulo Estausia, classificou a pauta do movimento como “legítima” e refutou a tese de orientação política.