fbpx

Dívida do Estado, Lei Kandir, Privatizações e Impostos Federais

Temos que encarar de frente o caos econômico do nosso Estado, que impossibilita investimentos e o avanço do Rio Grande do Sul. Para isso, é fundamental eleger Deputados Estaduais dispostos a enfrentar este grave problema.

A dívida pública do Estado do Rio Grande do Sul voltou a crescer e bateu novo recorde. Segundo relatório da Secretaria Estadual da Fazenda, a conta chegou a R$ 67,66 bilhões no fim de 2017.

 

 

Temos que propor novos critérios na compensação aos Estados por conta da desoneração sobre as exportações de produtos primários e semielaborados. É um tema importante para o equilíbrio das nossas finanças diante do enorme impacto que a Lei Kandir representa na arrecadação do Rio Grande do Sul.

É essencial diminuir drasticamente o tamanho do Estado. Privatizar as empresas obsoletas deve ser uma das prioridades do novo governo e para isso deverá organizar o plebiscito de consulta pública, conforme previsto na constituição gaúcha, e obter a opinião dos rio grandenses sobre este assunto.

O Estado do Rio Grande do Sul enviou ao governo federal, em 2017, mais de 68 bilhões de reais e obteve de retorno em investimentos pouco mais de 15 bilhões, ou seja, somente 23% do valor enviado. Ficando retido pelo governo federal mais de 52 bilhões de reais arrecadados dos gaúchos. Para onde vai este dinheiro?

 

 

É obrigação dos eleitos nas próximas eleições Estaduais e Federais que encarem de frente os problemas. Não há mais espaço para políticos que buscam o populismo e viram as costas para o futuro do Brasil.

Muda Brasil Muda de Verdade.