fbpx

Eike enviou cerca de R$ 33 bilhões da OGX ao exterior, diz COAF

O empresário brasileiro negocia um acordo de delação premiada com a PGR.

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) identificou várias operações de câmbio suspeitas realizadas pela empresa OGX Petroleo e Gás, quando a companhia estava sob controle do empresário Eike Batista.

As transações ocorreram entre dezembro de 2011 e novembro de 2012. O total das transações é de R$ 33 bilhões, segundo relatório do COAF obtido por O Antagonista.

De acordo com o órgão financeiro, as operações foram registradas como transferências diretas, locação de equipamentos de offshores e exportação de mercadorias.

O Antagonista informou que o documento foi anexado em uma petição apresentada à Justiça do Rio de Janeiro por associações de investidores (Abradim) e minoritários (Aidmin).

Os advogados argumentam que a conduta de Eike e outros executivos do grupo resultaram em um “bilionário desvio de poupança dos investidores”, afetando “todo o sistema financeiro nacional, seus agentes e instituições operadoras” e “abalando a confiança de investidores, nacionais e estrangeiros sobre o mercado de capitais brasileiro”.