fbpx

Esquerda transforma massacre de Suzano em palanque político

Com os corações repletos de pesar, a maioria dos Brasileiros aguarda que não só a justiça seja feita, como também uma melhor preparação por parte da nação para que atentados como esse não se repitam mais em solo nacional.

Porém, para a surpresa de ninguém, visto que eles fazem isso com os cadáveres de seus próprios familiares, a esquerda resolveu transformar essa tragédia em palanque, e tão logo o atentado foi noticiado, os esquerdistas já estavam prontos para vomitar sua chuva de argumentos ideológicos.

Gleisi Hoffmann disse: “Toda solidariedade às vítimas da escola de Suzano. Tragédias como essa resultam do incentivo à violência e à liberação do uso de armas. O Brasil precisa de paz”.

José de Abreu, o piadista que pensa que se autoproclamar presidente faz do ditador genocida Maduro um democrata eleito, disse, em resposta ao comentário de Joice Hasselmann, que a culpa é de Bolsonaro: “Responsabilidade de seu Capitão fascista e sua que o Apoia!”.

A psolista Luiza Erundina disse que a culpa é de João Dória: “É um absurdo a incompetência desse governo de SP que não garante segurança sequer nas escolas do Estado.”

Ela apagou o post logo depois. Mas nós fizemos o print.

A comunista da elite carioca, Jandira Feghali, também deixou seu discurso ideológico registrado nas redes: “A quem interessa um país dividido pelo ódio e armado? Quantas tragédias mais teremos que viver? Quando haverá paz para as famílias destroçadas pela violência? Armas não são a solução.”

Mas mesma linha de “pensamento”, Gleisi faz colocação gravíssima: Gleisi sugere que família Bolsonaro pode ter participação no caso Marielle

Gleisi Hoffmann divulgou um vídeo nas redes sociais onde sugere (vamos repetir) … sugere que a família do presidente Bolsonaro teria um suposto envolvimento com a morte da ex-vereadora Marielle Franco.

Mesmo tendo foro especial por prerrogativa de função, fato que lhe permite abrir a matraca aos quatro ventos, Gleisi deveria ter cuidado com o que diz.

Após as declarações da deputada, as redes sociais ficaram inflamadas e internautas já estão acusando o presidente da república de participação no crime.

O senador Álvaro Dias tem toda razão … o foro privilegiado tem que acabar imediatamente.

Uma declaração irresponsável dessas pode repercutir no exterior de maneira inimaginável … o mercado financeiro pode ser abalado, a bolsa de valores pode despencar, o dólar pode subir, relações econômicas com parceiros comerciais podem se romper … trata-se de um crime contra a Pátria!

A ex-candidata à vice-presidência da República, Manuela D’Ávila, também aderiu ao ‘complô irresponsável’: “Dois policiais são presos na Barra da Tijuca, suspeitos de executarem Marielle Franco. Um deles mora no mesmo condomínio que Jair Bolsonaro.”

Palavras de Gleisi:

“Algumas coincidências têm que ser consideradas … primeiro que o sobrenome de um deles (dos homens que foram presos) é Queiroz … segundo, ele moram no mesmo condomínio (do presidente Jair Bolsonaro)”

“Se pegarmos as questões antecedentes ao caso, as relações da família Bolsonaro com milicianos, as relações da família Bolsonaro com o Queiroz, acho que isso precisa ser muito bem investigado”.