fbpx

O que existe por trás do reconhecimento facial Chines?

Os investimentos do Governo e das empresas da China e no exterior são um dos principais pilares dessa estratégia. Na América Latina, o país já concedeu mais créditos que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Em 2017, investiu o equivalente a 390 bilhões de reais em 6.236 empresas de 174 países, segundo seu Ministério do Comércio. Como parte do plano de se tornar um país líder em tecnologia e fazer com que esse setor seja uma das principais fontes de seu PIB, a China comprou empresas fundamentais em áreas estratégicas, como a líder alemã em robótica Kuka e a fabricante de chips britânica Imagination. Já é um referente em inteligência artificial.

Em prol dessa estabilidade social, a China de Xi Jinping pôs em prática ambiciosos programas de controle e vigilância dos cidadãos, ajudada pela inteligência artificial. O fluxo das informações e as redes sociais são ferreamente supervisionados. Todas as empresas, incluindo as multinacionais estrangeiras, precisam contar com uma unidade do Partido Comunista em sua estrutura.

Inteligência Artificial geralmente é relacionada à robôs com aparência semelhante à humana. Saindo da ficção, entretanto, a Inteligência Artificial (IA) já está entre nós, de maneiras que nem imaginamos: dos assistentes pessoais como Siri, Cortana, ChatBots, passando pelos aplicativos que conseguem reconhecer nossas preferências e assim fazer sugestões de conteúdos parecidos, aos carros autônomos.

Toda esta tecnologia e monitoramento comportamental passa também pela identificação biométrica do indivíduo. Com o reconhecimento facial é possível não só saber como se comporta virtualmente, mas também na sua vida “real” e cotidiana.

Imagine expandir esta tecnologia pelo mundo sob o seu comando. Quem leu “1984” de George Orwell entenderá o que tento explicar.

1984 é um livro mundialmente celebrado. A obra trata de uma temática que não poderia ser mais atual: o que pode ocorrer com uma sociedade altamente vigiada? E quando essa vigilância transforma-se em mecanismo para controlar as pessoas?

Veja no vídeo abaixo o que acontece hoje na China.

Em 2010 desenvolvi um projeto para a Secretaria de Segurança Nacional, CNJ e Justiça Federal para identificação biométrica facial de pessoas nos ambientes do Judiciário Nacional.

O sistema seria utilizado para identificar rapidamente os réus condenados que devem se reapresentar com frequência nos tribunais. Com a identificação biométrica as filas e fraudes teriam fim.

Numa segunda fase o projeto seria ampliado para todas as repartições e áreas públicas (metrôs, estações, aeroportos, etc), que além de muitas outras funcionalidades “buscaria” por condenados ou procurados pela justiça. O projeto foi para Brasília (PT) e nunca andou.

O sistema se chamava Sherlock, incluindo uma base de registro até de DNA de condenados dentre tantas outras informações. Tendo em vista que mais de 90% dos crimes são cometidos por reincidentes.

Também foi apresentada para a Infraero… na época todos os aeroporto eram Estatais… mas nada avançou naquele governo. Talvez porque na nossa empresa não teriam espaço para “negociatas”.

Isso é muito sério e gera muitos dados e rastros das pessoas… milhões de informações que podem ser cruzadas. Importante estar atendo.

O Brasil possui empresas e pessoas capacitadas para o desenvolvimento deste tipo de solução. E porque não uma parceria com transferência de tecnologia de países como EUA e Israel?

Trata-se de um projeto de segurança nacional.

Veja o vídeo abaixo do sistema que estava incluído no projeto do qual fiz parte e fui especializados em São Paulo, por doutores do sistema vindos do Canadá.

Sim, uma empresa do Canadá… que já tem o sistema funcionando em diversos aeroporto dos EUA e inclusive no Pentágono.

“Ai” vem a pergunta… porque a China e a empresa Huawei estão tão interessadas em colocar seus sistemas e hardwares no Brasil para fazer este tipo de registro?

Resposta óbvia.

Veja o vídeo abaixo.

Infelizmente os deputados do PSL integram um grupo de parlamentares que viajou na terça-feira (15) ao país, a convite da embaixada chinesa no Brasil. Isso gerou críticas e mal-estar entre aliados do presidente, como o “guru” Olavo de Carvalho, que mora nos EUA.

Convite Chines

Na internet, Olavo de Carvalho chamou os deputados da comitiva de “semianalfabetos”. Em entrevista, Luciano Bivar disse que Carvalho “perde o amigo mas não perde a piada”, e que está aproveitando para mostrar que “também mete o pau no governo”.

Ele criticou a ideia de comprar tecnoclogia de reconhecimento facial para aeroportos do governo chinês. Em vídeo, chamou os integrantes da viagem de “semianalfabetos” e “idiotas”.

Veja o vídeo de Olavo de Carvalho sobre o assunto:

Como podemos ver o assunto é muito sério e envolve Segurança Nacional.


Além de Luís Miranda (DEM) , estão na China os deputados federais eleitos Carla Zambelli, Daniel Silveira, Tio Trutis, Felício Laterça, Bibo Nunes, Charlles Evangelista, Marcelo Freitas, Sargento Gurgel e Aline Sleutjes, além da senadora eleita Soraya Thronicke, todos do PSL.
Resposta do professor Olavo ao internauta

O presidente Jair Bolsonaro ficou “surpreso” com a viagem de deputados do PSL à China, declarou nesta quinta-feira (17) o presidente do partido, Luciano Bivar.

O presidente do PSL, que também é deputado federal, disse que recusou o convite da embaixada chinesa para uma viagem no período eleitoral e que, recentemente, esteve com o embaixador em Brasília, após a vitória de Bolsonaro.

No encontro, transmitiu mensagem de que Bolsonaro gostaria de fazer uma viagem à China, mas que ainda seria marcada.

Segundo Bivar, Bolsonaro se surpreendeu com a visita dos deputados do seu partido ao país.

“Quando Carla Zambeli [deputada federal eleita] me disse que ia para a China, eu disse: ‘Para a China?’ Não estava sabendo. Ontem, falei por telefone com o presidente Bolsonaro e ele me disse: ‘Poxa, Bivar, o pessoal precisa saber que existe uma responsabilidade em ser do PSL, que somos vidraças, que tudo reverbera em cima de nós’”, contou Bivar em entrevista ao G1.

Donald Trump proíbe uso de tecnologias da Huawei e ZTE pelo governo dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou em agosto de 2018 um termo que proíbe o uso da tecnologia da Huawei e ZTE pelo governo do país. A inteligencia americana tem provas que as principais companhias de telecomunicações chinesas são uma ameaça à segurança nacional.

No mesmo ano, o senado norte-americano aprovou uma emenda que estabelece a proibição da ZTE. O congresso aprovou a medida e agora a proibição esta em vigor nos próximos dois anos.

Com a decisão, está proibido o uso de componentes ou serviços de ambas as companhias por serem considerados essenciais ou críticos para os sistemas em que eles são usados. Alguns componentes ainda podem ser utilizados, mas desde que não seja para rotear ou visualizar dados.

A medida também instrui agências governamentais, como a Comissão Federal de Telecomunicações, a priorizar o financiamento de empresas para que elas possam alterar sua tecnologia devido à proibição.

Em 2012, ambas as empresas já haviam sido classificadas como ameaças de segurança e os Estados Unidos chegaram a recomendar que seus produtos não fossem utilizados.

A filha do fundador da gigante chinesa de tecnologia Huawei foi presa no Canadá em 1º de dezembro de 2018 a pedido de autoridades norte-americanas. A prisão está relacionada à violação de sanções norte-americanas. Meng, uma das vice-presidentes do conselho da companhia e filha do fundador da empresa, Ren Zhengfei.

ESTAMOS ATENTOS!

Por: Luiz Salatino

1
Olá Salatino. Estou entrando em contato através do WhatsApp disponível em seu site luizsalatino.com.br. Desejo receber em primeira mão todas as notícias e informações relacionadas no seu site. Segue abaixo meu nome e minha cidade.
Powered by