fbpx

STF ordena que Crusoé retire reportagem sobre Toffoli

CENSURA: O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a revista Crusoé retire “imediatamente” do ar a reportagem de capa da última edição, intitulada “O amigo do amigo de meu pai”. A decisão também se estende ao site O Antagonista.

Segundo o site, um oficial de Justiça a serviço da corte bateu à porta da redação para entregar cópia da decisão.

Moraes alegou “claro abuso no conteúdo da matéria veiculada” e ordenou que a Polícia Federal (PF) intime os responsáveis pela publicação da reportagem “para que prestem depoimentos no prazo de 72 horas”.

A reportagem de que trata a decisão do ministro foi publicada com base em um documento que consta dos autos da Operação Lava Jato. A íntegra da delação também foi publicada pelo jornal Estadão e aqui no site. Veja no fim desta matéria.

No depoimento à PF, o empreiteiro Marcelo Odebrecht responde a um pedido de esclarecimento feito PF, que queria saber a identidade de um personagem que ele cita em um e-mail como “amigo do amigo de meu pai”.

Odebrecht respondeu tratar-se do presidente do STF, Dias Toffoli, conforme revelou Crusoé em sua edição de número 50, publicada na última sexta-feira (12).

No despacho de três páginas, Moraes menciona o inquérito aberto por Toffoli em março, e dentro do qual a decisão foi tomada. A investigação apura calúnias, fake news e ameaças contra magistrados da Corte máxima do Judiciário brasileiro.

Leia aqui a Íntegra do Reportagem CENSURADA.

Crusoe_Toffoli

Caso não esteja conseguindo visualizar, faça o
DOWNLOAD DO PDF AQUI

Com Informações RenovaMídia e O Antagonista

Nota pública sobre a censura à Crusoé

Fomos surpreendidos na manhã desta segunda-feira, 15 de abril de 2019, pela decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, de censurar a reportagem “O amigo do amigo de meu pai”, publicada na sexta-feira passada pela revista Crusoé.

A reportagem revela, com base em documento da Lava Jato reproduzido pela revista, que Marcelo Odebrecht, ao utilizar o codinome em mensagem a executivos da sua empreiteira, disse à Força Tarefa da operação que se referia a Antonio Dias Toffoli, na época Advogado Geral da União e hoje presidente do Supremo Tribunal Federal.

Além de censurar a revista, o ministro Alexandre de Moraes determinou que a Polícia Federal tomasse depoimentos dos jornalistas.

Nossos advogados entrarão com recurso ao colegiado do STF, para tentar reverter esse atentado contra a liberdade de imprensa, aspecto fundamental da democracia garantido pela Constituição. Na nossa visão, trata-se de ato de intimidação judicial. A liberdade de imprensa só se enfraquece quando não a usamos. Continuaremos a lutar por ela.

Mario Sabino
Publisher da Crusoé

LEIA TAMBÉM: